Início >> Notícia >> Categoria >> Geral >> Petistas-apostam-em-ataque-de-ex-ministro-a-Lula

Petistas apostam em ataque de ex ministro a Lula

Imagem não disponível

Delação de Palocci era dada como certa por integrantes do PT

484

Francisco Silva 13/05/2017 às 10:32 13/05/2017 às 10:32

A delação de Antonio Palocci é dada como certa entre petistas desde a semana passada. Na abertura da etapa paulista do 6.º Congresso Nacional do PT, na sexta-feira da semana passada, a “traição” do ex-ministro era um dos assuntos principais. Em tom que variava entre a indignação e a resiliência, petistas comentavam que Palocci iria entregar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em troca do acordo com o Ministério Público Federal. 

A certeza dos petistas vem de recados dados por pessoas próximas ao ex-ministro da Fazenda (Lula) e Casa Civil (Dilma Rousseff) e também pela lógica da exclusão. Segundo eles, Lula é o único alvo que a Lava Jato ainda não conseguiu alcançar e Palocci, dada a proximidade com o ex-presidente até bem pouco tempo atrás, poderia preencher lacunas que dariam mais solidez às denúncias contra Lula. 

A indignação dos petistas com o ex-ministro aumenta diante das suspeitas que pesam contra Palocci. Ao contrário do ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto, preso por supostamente operar o esquema de caixa 2 do PT, Palocci é acusado de enriquecimento pessoal. 

Sob a condição de sigilo, petistas dizem que o ex-ministro quer preservar seu patrimônio, em grande parte acumulado no período dos governos do partido, ao tentar o acordo de delação premiada. 

Preso político. Mesmo assim o PT estadual de São Paulo aprovou um texto no qual Palocci, Vaccari e José Dirceu são tratados como “presos políticos”. Segundo dirigentes, foi uma tentativa de acalmar o ex-ministro. 

Dado o amplo acesso que Palocci tinha a Lula, correligionários avaliam que o estrago da delação será grande, podendo levar à inviabilização da candidatura do petista à Presidência em 2018. 

‘Não sei’. Já no entorno de Lula a torcida é para que o ex-ministro poupe o ex-presidente. Um ex-auxiliar do círculo mais próximo ao petista disse esperar que Palocci diga somente a “verdade”. 

E a “verdade”, segundo essa fonte, é que o “ex-presidente Lula sempre disse para ele cuidar desse negócio (de dinheiro para campanhas), que não queria saber de onde veio o dinheiro e que o PT que se virasse para financiar seus candidatos”. 

De acordo com interlocutores de Lula, Palocci e depois Guido Mantega foram encarregados de gerenciar o caixa 2 petista justamente para preservar e blindar o ex-presidente. 

Outra certeza petista é que a delação de Palocci vai ampliar muito o escopo da Lava Jato trazendo para o olho do furacão setores do empresariado nacional com quem o ex-ministro tinha grande proximidade e que até então passaram ilesos pelas investigações de Curitiba. O principal deles é o setor financeiro.

TRAJETÓRIA

Prefeito

Após ser vereador e deputado estadual, o médico Antonio Palocci elege-se prefeito do município paulista de Ribeirão Preto em 1992, sempre pelo PT, partido do qual foi um dos fundadores. 

 

Lula 

Palocci assume novamente a prefeitura de Ribeirão Preto em 2001 e fica no cargo até março de 2002, quando se licencia para coordenar a campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva, substituindo o prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado naquele ano.

 

Ministro 

Com a vitória de Lula, Palocci assume o Ministério da Fazenda em 2003. Em sua gestão, o ministro petista mantém as diretrizes macroeconômicas do Plano Real.

 

CPI dos Bingos

No início de 2006, Palocci é convocado a depor na CPI dos Bingos, suspeito de liderar esquema de superfaturamento de contratos de empresas de coleta de lixo durante a gestão dele na prefeitura de Ribeirão Preto. Três anos depois, o Supremo Tribunal Federal (STF) arquiva inquérito instaurado contra ele. 

 

Caseiro

Em março de 2006, Palocci pede demissão após ser acusado de ter quebrado o sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, que havia desmentido declarações do então ministro na CPI e confirmado a participação dele em reuniões com lobistas em Brasília. Em 2009, é absolvido neste caso.

 

Dilma

Palocci é escolhido coordenador da campanha presidencial vitoriosa da então candidata petista Dilma Rousseff em 2010. 

 

Ministro de novo

No governo Dilma Rousseff, Palocci assume o Ministério da Casa Civil em 2011. Apenas cinco meses depois, ele pede demissão do posto após denúncias de enriquecimento ilícito.

 

Lava Jato

Palocci é preso em setembro de 2016 na Operação Omertà, 35ª fase da Lava Jato, por indícios de irregularidades em suas relações com a Odebrecht. Agora, ele decide fazer delação premiada.

imagem

Francisco Silva

Proprietário da web Rádio Amazônia Central, Acadêmico em sistemas de informação 8º período (1/2018) e Editor de imagens. WhatsApp (69) 9 9283-9969
VEJA TAMBÉM
Geral

Receita acha carregadores de fuzil com peças de carrinho de bebê no Galeão

Carregadores de fuzil estavam escondidos com peças de carrinho de bebê
Data 18/02/2017 às 22:55
Geral

Chacinas no Ceará são guerra de facção, diz presidente do conselho penitenciário

O assassinato dos 10 internos hoje, conforme ele, é a resposta do Comando Vermelho à chacina e demonstra a vulnerabilidade do sistema penitenciário
Data 29/01/2018 às 18:34
Geral

UFG repudia agressão a estudante durante manifestação em Goiânia

Universidade diz que vai cobrar das autoridades a devida apuração do caso. Rapaz segue em UTI com quadro grave
Data 29/04/2017 às 15:29
Geral

Câmara dos Deputados aprova terceirização irrestrita

Contratantes não terão responsabilidade por terceirizados e podem ter capital de R$ 250 mil
Data 23/03/2017 às 14:16
Geral

PRF inicia 'Operação Finados' nas principais rodovias federais de Rondônia

'Operação Finados' iniciou nesta quarta-feira (1º) e vai até a última hora de domingo (5). Policiamento é reforçado nas principais rodovias federais de RO e AC.
Data 01/11/2017 às 20:13
Geral

Governo avalia levar Venezuelanos para outros estados

Prefeitura de Boa Vista que 40 mil imigrantes vivem na cidade
Data 08/02/2018 às 19:01
Mundo

Carro autônomo da Uber nos EUA causa primeira morte por atropelamento

Empresa suspendeu testes com veículos sem motorista nos Estados Unidos e no Canadá
Data 20/03/2018 às 07:39