Início >> Notícia >> Categoria >> Ciência e tecnologia >> Operadora-americana-testa-Internet-de-ate-1-Gbs-por-rede-eletrica

Operadora americana testa Internet de até 1 Gb/s por rede elétrica
Velocidade se equipara à Internet por fibra ótica. Entenda como funcionam os testes.

18/12/2017 às 16:48 18/12/2017 às 16:48

384

Publicada por: Francisco Silva
Fonte: AT&T e Android Authority

A AT&T anunciou o início dos primeiros testes para popularizar a Internet via rede elétrica na última quarta-feira (13). Chamada de AirGig, a tecnologia disponibilizada pela operadora americana tem potencial para atingir mais de 1 Gb/s de velocidade. O experimento, inicialmente, ocorre em uma pequena área no estado da Georgia, nos Estados Unidos.

A principal vantagem é levar Internet para locais remotos, usando os cabos elétricos das companhias de energia já existentes. Por enquanto, a empresa ainda não divulgou os planos ou pacotes que vão utilizar a rede.

A ideia de usar a rede elétrica para entregar Internet não chega a ser novidade. No Brasil, a Anatel regulamentou o uso em 2009, porém poucas operadoras venderam planos com a tecnologia. A mais conhecida foi a Intelig, em 2010, que chegou a disponibilizar conexão pela rede elétrica em alguns bairros de São Paulo.

Por aqui, ficou mais conhecido o uso de repetidores domésticos, como o N150 da D-Link, que utilizam a rede elétrica para ampliar o sinal Wi-Fi pela casa.

Repetidores: saiba como ampliar o sinal Wi-Fi da sua casa

Repetidores: saiba como ampliar o sinal Wi-Fi da sua casa

 

Velocidade é o diferencial

 

O diferencial da tecnologia da AT&T fica por conta da velocidade. Ao chegar a mais de 1 Gb/s, a Internet pela rede elétrica se equipara à fibra ótica. O Google Fiber, por exemplo, oferece essa potência nos Estados Unidos.Tecnologia usa estrutura montada no poste (Foto: Divulgação/AT&T)

Tecnologia usa estrutura montada no poste (Foto: Divulgação/AT&T;)

Chamada de AirGig, a tecnologia utiliza sinais de onda milimétricas conhecidas como mmWave. Com isso, ela é capaz de transferir dados em uma frequência muito maior do que os cabos de cobre, entre 30 GHz e 300 GHz. De acordo com a empresa, a instalação na residência de um cliente leva apenas poucos minutos.

Usar a infrestrutura já existente traz um custo menor para as operadoras, já que não é preciso passar cabos pela cidade. No entanto, traz o problema de ter que negociar com cada empresa de distribuição. A Intelig no Brasil, por exemplo, usava os cabos da Eletropaulo.

Os principais favorecidos seriam pessoas que moram em locais remotos, como em áreas rurais. É muito mais fácil ter um um cabo de energia passando próximo da residência do que uma rede de fibra ótica. Na cidade, a Internet pela rede elétrica pode ajudar pessoas que moram em bairros afastados, onde a rede de cobre/fibra ótica está sobrecarregada.

Publicado por: Francisco Silva

Proprietário da web Rádio Amazônia Central, Acadêmico em sistemas de informação 8º período (1/2018) e Editor de imagens. WhatsApp (69) 9 9283-9969
VEJA TAMBÉM
Educação

Unir divulga edital de seleção para mestrado profissional

Inscrições iniciarão em 6 de fevereiro com 20 vagas.
Data 31/01/2017 às 17:46
Ciência e tecnologia

Porto Velho e Candeias do Jamari terá sinal analógico desligado

O sinal analógico será desligado no dia 14 de agosto de 2018
Data 29/03/2018 às 10:18
Educação

Chamada escolar em Porto Velho já tem metade das vagas preenchidas

O período para a efetivação das matrículas será de 4 a 6 de dezembro e para confirmar as vagas
Data 22/11/2017 às 09:40
Comunidade

Moto desgovernada invade farmácia em Porto Velho

O motociclista conseguiu pular da motocicleta antes da colisão e relatou que o cabo do acelerador travou, deixando a moto em alta velocidade
Data 11/02/2018 às 03:49
Geral

Bonecas sexuais da "nova geração" falam e tocam música

Elas são remédio contra solidão; país tem uma quantidade maior de homens, com 114 nascimentos de meninos para cada 110 novas meninas.
Data 05/02/2018 às 18:04
Mundo

Ruptura de represa em Laos deixa vários mortos e centenas de desaparecidos

A barragem da província de Attapeu, obra de mais de um bilhão de dólares, está em construção desde 2013.
Data 24/07/2018 às 08:02
Música

Com transe, rito e música, "Híbridos" registra o Híbridos do Brasil

Casal de cineastas franceses faz expedição espiritual pelo país e lança documentário
Data 20/03/2018 às 07:33
Ciência e tecnologia

Novas hidrelétricas na Amazônia seriam ‘maciçamente’ destrutivas (estudo)

A construção proposta de 428 hidrelétricas na bacia amazônica do Brasil devastaria o meio ambiente e poderia até prejudicar o clima regional
Data 15/06/2017 às 14:11