Início >> Notícia >> Categoria >> Geral >> Operacao-Apate-e-cumpre-mandados-judiciais-em-Rondonia

Operação Apate e cumpre mandados judiciais em Rondônia

07/11/2017 às 14:50 07/11/2017 às 14:50

484

Publicada por: Francisco Silva
Fonte: Rondoniagora

O Ministério Público do Estado de Rondônia deflagrou na manhã desta terça-feira, 07 de novembro, a Operação Apate, resultado de investigações conduzidas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, em conjunto com a Promotoria de Justiça de Guajará-Mirim, que revelaram a existência de uma organização criminosa voltada ao oferecimento de cursos de graduação e pós-graduação sem a devida autorização do MEC.

A organização criminosa desmantelada pela atuação do Ministério Público, voltada à prestação de serviços de caráter educacional, ludibriou inúmeros alunos ao dar aparência de regularidade aos cursos ofertados, obtendo vantagem patrimonial com as fraudes praticadas. O esquema consistia, basicamente, na oferta de cursos de graduação e pós-graduação que, quando concluídos, davam aos alunos diplomas ideologicamente falsos, adquiridos ilegalmente de diversas instituições de ensino sediadas em variados estados da federação.

A organização estava instalada em pelo menos 17 localidades, das quais 14 estão localizadas em Rondônia. Segundo estimativas, a entidade educacional ligada à organização criminosa tem atualmente cerca de 1300 alunos matriculados, além do número não apurado de vítimas atingidas que já receberam os falsos diplomas.

O cenário trazido à colação pelo Ministério Público desnuda a prática de crimes de organização criminosa, crimes de estelionato, crimes de falsidade ideológica, crimes contra as relações de consumo e, até mesmo, possível prática de lavagem de dinheiro.

No total, com a parceria da Polícia Civil, estão sendo cumpridos simultaneamente, 33 mandados de busca e apreensão, 23 conduções coercitivas, em 14 localidades espalhadas pelo Estado de Rondônia. Além destas cautelares, o Poder Judiciário também decretou contra os investigados a indisponibilidade de bens, obrigação de entrega de passaportes e proibição de se ausentarem do país.

O nome da operação vem da mitologia grega, sendo Apate um espírito feminino que personifica o engano, o dolo e a fraude, em alusão aos crimes cometidos pela organização criminosa.

Publicado por: Francisco Silva

Proprietário da web Rádio Amazônia Central, Acadêmico em sistemas de informação 8º período (1/2018) e Editor de imagens. WhatsApp (69) 9 9283-9969
VEJA TAMBÉM
Geral

Dono de posto de combustível em Cuiabá é detido por aumento abusivo durante greve

De acordo com a Polícia Civil, a margem de lucro em cima do etanol era de 62%. Fiscalização também flagrou outro posto vendendo combustível com lucro de 70%
Data 30/05/2018 às 00:41
Geral

Secretário de Temer diz que tinha que fazer uma chacina por semana

Sobre massacres em Manaus e Boa Vista, Bruno Júlio, secretário de Juventude do governo, disse que 'tinha era que matar mais'
Data 07/01/2017 às 02:11
Música

George Michael morre aos 53 anos

Estrelas e personalidades do mundo da música prestaram suas homenagens ao cantor
Data 27/12/2016 às 17:47
Geral

Manifestantes de vários países marcham pela legalização da maconha

Protestos pela liberação da erva mobilizaram participantes em diversas partes do mundo neste sábado (6).
Data 08/05/2017 às 00:05
Geral

Em 26 de fevereiro, eclipse solar no Brasil

Só que pena que será apenas eclipse parcial, quem tiver na Argentina verá total
Data 17/02/2017 às 07:36
Geral

Carros apreendidos pegam fogo em incêndio no depósito da Sesdec

Vários caminhões do Corpo de Bombeiros foram utilizados na operação para apagar o fogo
Data 29/06/2018 às 08:04
Geral

Negado novo pedido de liberdade a mulher ligada a Fernandinho Beira Mar

Ela foi presa no âmbito da operação Epístola, por suposta participação em organização criminosa liderada pelo traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar
Data 13/01/2018 às 08:22
Geral

Censurados, Folha e O Globo apagam notícias sobre Marcela Temer

Segundo a decisão liminar, os jornais estão proibidos “de dar publicidade a qualquer um dos dados e informações obtidas do celular sobre Primeira-Dama Marcela”
Data 14/02/2017 às 14:49