Início >> Notícia >> Categoria >> Geral >> Golpistas-clonam-contas-de-WhatsApp-para-pedir-dinheiro-a-contatos

Golpistas clonam contas de WhatsApp para pedir dinheiro a contatos
Esquema tira do ar celular da vítima, assume conta e envia mensagens. Por mensagem, golpistas pedem transferências bancárias a amigos e família.

13/02/2017 às 05:44 13/02/2017 às 18:55

828

Publicada por: Francisco Silva
Fonte: G1

A polícia está em alerta para um novo golpe que atinge usuários de WhatsApp, aplicativo de conversas instantâneas por celular. Com a ajuda de funcionários de operadoras de telefonia, os falsários conseguem clonar as contas para pedir dinheiro a parentes e amigos das vítimas. Pelo menos dez pessoas procuraram a delegacia de crimes de informática de Porto Alegre, na semana passada, para denunciar o golpe.

Revelado pelo Fantástico, em reportagem produzida pela RBS TV, o esquema consegue tirar do ar o celular da vítima e assim assumir a conta e enviar mensagens aos seus amigos e parentes, solicitando transferências bancárias. Foi o que aconteceu em um grupo de conversas de cardiologistas nesse aplicativo. Pensando estar recebendo mensagens do pai, duas filhas de um desses médicos perderam  R$ 1,8 mil.

"Ele mandou mensagens particulares e falou que o limite dele de transferências estava excedido (...) e perguntou qual meu limite de transferências. Falei: 'olha, só posso transferir R$ 800'. Ele falou 'não tem problema, transfere para essa conta que eu vou te dizer'. E aí foi isso que eu fiz, achando que era o meu pai", relata uma das filhas.

Filhas de médico de Porto Alegre foram vítimas de golpe achando que estavam falando com o pai (Foto: Reprodução/RBS TV)

Filhas de médico foram vítimas de golpe achando que estavam falando com o pai (Foto: Reprodução/RBS TV)

Ao invadir a conta de WhastApp de outro médico de Porto Alegre, os golpistas conseguiram transferências bancárias de vários amigos dele. A vítima que teve a conta clonada disse que notou quando o seu celular perdeu o sinal. Ele descobriu o golpe porque estava junto da irmã quando ela recebeu a mensagem do golpista, se fazendo passar pelo médico.

"Por sorte, a minha irmã estava do lado e pegou o celular dela. Eu disse 'perdi o sinal e perdi o WhatsApp, não consigo utilizar'. Ela disse 'mas tu acabou de me mandar uma mensagem' e nessa mensagem era um pedido de acesso à conta do banco", conta o médico. Ele conseguiu avisar vários de seus contatos, mas antes disso, cinco amigos já haviam feito transferências entre R$ 2,5 mil e R$ 3 mil cada.

Também vítima, um empresário da capital gaúcha passou por uma situação ainda mais absurda. O golpista clonou o WhatsApp de um amigo dele e pediu uma transferência bancária de R$ 3 mil. O empresário, pensando se tratar do amigo, solicitou que a secretária fizesse a operação.

"Primeiro, vieram os dados bancários, o nome da pessoa e o pedido para transferir R$ 3 mil. Eu só respondi 'ok'", lembra a secretária.

O golpista percebeu que quem realizava as transferências era a secretária. E, imediatamente, clonou o WhatsApp do empresário, passando a pedir mais dinheiro, agora, direto para a secretária. Sem desconfiar de nada, ela fez novas transferências e pagou até contas enviadas pelo golpista. O prejuízo chegou a  R$ 100 mil.

"E aí, através do WhatsApp do meu chefe, vieram as outras ordens. Ele (empresário, ao descobrir a fraude) entrou em pânico, assim como eu", lamenta a secretária.

Especialistas lembram que, ao invadir uma conta de WhatsApp, os falsários têm acesso a todo o histórico de conversas, grupos e contatos que pode incluir dados pessoais e detalhes que só as vítimas sabem. Isso torna os pedidos de transferência de dinheiro mais convincentes.

"Ele (o golpista) vai identificar quem são os parentes, quem são os amigos. Tem todo um histórico que ele pode se aproveitar para fazer o golpe mais efetivo e realmente a pessoa nem se questionar", explica Ronaldo Prass, especialista em tecnologia.

Em julho do ano passado, a Polícia Civil do Maranhão desarticulou uma quadrilha acusada de aplicar esse tipo de golpe. Entre os seis presos, estava um funcionário de uma loja da Vivo, que tinha o papel de tirar do ar os celulares das vítimas e habilitar o número em chips que estavam em poder dos golpistas. Assim, eles conseguiam acessar as contas de WhatsApp.

"Fomos até a operadora de telefone e prendemos em flagrante um dos funcionários. No seu WhatsApp, estava toda a conversa com a quadrilha", explica o delegado Tiago Bardal.

Como todos estão soltos, a Delegacia de Crimes de Informática de Porto Alegre trabalha com a hipótese de que os fraudadores podem ser os mesmos que aplicaram o golpe no Rio Grande do Sul, uma vez que a maioria das transferências feitas no estado foi para contas bancárias do Maranhão.

Na semana passada, foi anunciada uma nova atualização do WhatsApp, o que deve dificultar a fraude. Foi criado um mecanismo de senha, necessária para a instalação do aplicativo em caso de troca de aparelho.

Publicado por: Francisco Silva

Proprietário da web Rádio Amazônia Central, Acadêmico em sistemas de informação 8º período (1/2018) e Editor de imagens. WhatsApp (69) 9 9283-9969. CV: http://lattes.cnpq.br/4738070963523179
VEJA TAMBÉM
Geral

WhatsApp para de funcionar; internautas reclamam que app está fora do ar

Empresa reconhece pane e diz que está "trabalhando para corrigir"
Data 03/05/2017 às 19:33
Esporte

Brasileiro Soccer Society em Anápolis (GO), próxima meta do Libertar EC

Libertar EC recebe convite
Data 19/09/2018 às 19:40
Geral

Dicas para proteger a sua conta no WhatsApp

A versão mais recente do aplicativo oferece um recurso complementar que aumenta a proteção da conta.
Data 13/02/2017 às 05:38
Geral

Polícia Civil prende cunhado que se torna suspeito da investigação

Taina Carina, de 21 anos, estava grávida de oito meses, quando teria saído para cobrar pensão do ex-marido
Data 18/01/2018 às 17:10
Ciência e tecnologia

BlackBerry processa Facebook e pode tirar WhatsApp do ar

Processo pede interdição de todos os aplicativos de mensagens da empresa por violação de patentes
Data 07/03/2018 às 07:50
Geral

Censurados, Folha e O Globo apagam notícias sobre Marcela Temer

Segundo a decisão liminar, os jornais estão proibidos “de dar publicidade a qualquer um dos dados e informações obtidas do celular sobre Primeira-Dama Marcela”
Data 14/02/2017 às 14:49
Mundo

Mark Zuckerberg recusa novo convite para sabatina sobre fake news

A audiência acontece nesta terça-feira (27) em Londres, às 14h30, horário de Brasília.
Data 27/11/2018 às 08:46
Geral

Investigação sobre fake news está sob sigilo, diz Raul Jungmann

A presidente do TSE, Rosa Weber, acompanhada dos ministros Raul Jungmann (Segurança Pública; à dir.) e Sérgio Etchegoyen (GSI)
Data 21/10/2018 às 19:51