Início >> Notícia >> Categoria >> Geral >> Coreia-do-Norte-tenta-fazer-novo-teste-de-missil-mas-fracassa

Coreia do Norte tenta fazer novo teste de míssil, mas fracassa

Imagem não disponível

Tentativa ocorre um dia após desfile militar em Pyongyang em que mísseis foram exibidos

831

Francisco Silva 17/04/2017 às 14:19 17/04/2017 às 14:19

A Coreia do Norte tentou lançar um míssil neste domingo (horário local) perto de Sinpo, na sua costa leste, mas acredita-se que o teste tenha fracassado, segundo afirma o Ministério da Defesa da Coreia do Sul.

"A Coreia do Norte tentou testar um novo tipo de míssil não identificado na área de Sinpo, na província de Hamkyong do Sul, mas suspeitamos que o lançamento fracassou", disse o ministério sul-coreano em um comunicado, acrescentando que o teste está sendo analisado mais detalhadamente.

O Comando do Pacífico dos Estados Unidos confirmou a informação, dizendo que detectou o lançamento de um míssil perto de Sinpo e que o dispositivo "explodiu quase imediatamente". O tipo de míssil usado ainda está sendo analisado, segundo o Comando.

"O Comando do Pacífico dos EUA detectou e rastreou o que consideramos que era um míssil norte-coreano lançado às 11h21 na hora do Havaí (18h21, pelo horário de Brasília) de 15 de abril", informou um porta-voz do Comando, Dave Benham. "O lançamento do míssil balístico ocorreu perto de Sinpo (província de Hamkyong do Sul). O míssil explodiu quase que imediatamente", acrescentou.

Um funcionário do governo americano afirmou que o presidente Donald Trump "foi informado" sobre o lançamento.

A tentativa de lançamento de um novo míssil acontece um dia depois que a Coreia do Norte celebrou com um desfile militar o "Dia do Sol", data do nascimento do líder fundador da dinastia, Kim Il-Sung (15 de abril de 1912 - 8 de Julho de 1994), avô do atual líder norte-coreano, Kim Jong-Un.

Pyongyang utilizou o desfile para uma demonstração de força e enviar uma mensagem a Washington, Seul, Tóquio e demais países sobre as suas capacidades militares. No desfile, foram mostrados tanques e armas que preocupam a comunidade internacional: um total de 56 mísseis de 10 classes diferentes, transportados por reboques e caminhões.

Veículos militares carregam mísseis “Pukkuksong" durante desfile militar que marca o 105º aniversário do nascimento do fundador do país, Kim Il Sung, em Pyongyang, neste sábado (15)Foto: REUTERS/Damir Sagolj)

Kim não falou durante a cerimônia, mas o vice-presidente da Comissão dos Assuntos de Estado, segundo na hierarquia do país, fez um discurso desafiador no qual alertou que o país está pronto para reagir a qualquer provocação.

"Estamos prontos para responder a uma guerra total com uma guerra total e estamos prontos para responder com ataques nucleares a qualquer ataque nuclear", declarou Choe Ryong Hae.

 

Tensões

 

O programa nuclear da norte-coreano provoca tensão com os seus vizinhos e com os EUA. No final de semana passado Washington anunciou o envio de um grupo aeronaval americano, incluindo o porta-aviões 'USS Carl Vinson', para a península da Coreia.

A Coreia do Norte, por sua vez, denunciou o que chamou de envio "insensato" da Marinha americana e advertiu que Pyongyang está preparado para responder com "a poderosa força das armas" em caso de provocação.

O presidente chinês, Xi Jinping, defendeu nesta quarta uma solução pacífica para a crise, durante uma conversa por telefone com seu homólogo americano, Donald Trump, que havia dito que estava decidido a resolver a questão norte-coreana com ou sem a ajuda da China.

Observadores disseram nesta semana que a Coreia do Norte poderia lançar neste sábado um novo teste nuclear ou balístico, ambos proibidos pela comunidade internacional.

A China, considerada única aliada da Coreia do Norte, advertiu que um "conflito poderia eclodir a qualquer momento" e reiterou que o "diálogo é a única saída".

E, durante uma conversa telefônica, o ministro das Relações Exteriores chinês Wang Yi afirmou ao seu colega russo Serguei Lavrov, que a China quer cooperar com a Rússia para "apaziguar" o mais rápido possível a tensão em torno da Coreia do Norte.

Pyongyang tem sido alvo de várias resoluções da ONU que procuram impedir o país de adquirir tecnologia nuclear e balística.

O país asiático, que já realizou 5 testes nucleares nos últimos meses, quer desenvolver um míssil intercontinental capaz de atingir os EUA, o que, de acordo com Trump, "não vai acontecer".

imagem

Francisco Silva

Proprietário da web Rádio Amazônia Central, Acadêmico em sistemas de informação 8º período (1/2018) e Editor de imagens. WhatsApp (69) 9 9283-9969
VEJA TAMBÉM
Música

Adele e David Bowie são os grandes vencedores do Grammy 2017

A maior vencedora foi, indubitavelmente Adele que levou nada menos que cinco dos principais troféus da noite
Data 15/02/2017 às 04:19
Educação

IFRO oferece 240 vagas em cursos técnicos e concomitantes

As aulas ocorrerão na modalidade educação a distância (EaD)
Data 09/01/2018 às 20:59
Geral

Governo autorizar saque do FGTS para pagamento de dívidas

Medida, que tem sido estudada pela equipe econômica.
Data 22/12/2016 às 03:56
Geral

Adolescente de Camarões vence competição da Google

superou um bloqueio à internet imposto pelo governo, conflitos étnicos no país e o ceticismo do próprio pai.
Data 15/02/2017 às 23:21
Música

Lençóis Weekend reúne nomes da música neste final de semana em Barreirinhas

Festival que acontece neste final de semana em Barreirinhas, a 252 km de São Luís, promete três dias de muita música boa e diversão.
Data 07/09/2017 às 21:21
Música

Cantor sertanejo Victor posta letra de música sobre 'momentos inevitáveis'

'Há momentos inevitáveis/ Que o coração da gente pede resposta', diz a canção composta por Victor.
Data 02/03/2017 às 12:05